terça-feira, agosto 03, 2004

outra segunda-feira...


É como eu sempre digo. As segundas-feiras têm qualquer coisa de sinistro. Por isso, quando ainda tinha carro e conseguia conduzir, nunca viajava à segunda-feira. Sempre guardei a ida para férias, para terça ou quarta, ou qualquer outro dia.
Acho que as segundas são geridas, quiçá todos os dias o são, pela Grande Roda do Destino, por Yin-Yang, por Shiva, Buda, Maomé, ou a Puta-Que-Pariu. E por isso são particularmente atraentes para o azar.
Hoje, para variar, não foi excepção, uma vez mais.

Assisti na SIC, à hora de almoço, à derrocada do prédio de Campo de Ourique. Ao ver aquelas imagens pareceu-me estar a assistir a um '11 de Setembro' à portuguesa! Populares, bombeiros e polícias a correrem pela rua, perseguidos por uma imensa e rápida nuvem a ameaçar tragá-los, como gigante saído dum pesadelo.
As grandes diferenças que notei, além da dimensão do prédio, minúsculo ao lado das out-for-lunch Twin Towers, foram a nuvem do onze ser cinza-betão e esta castanha-alvenaria-mediterrânica-lisboeta; e também o tempo de divulgação do nome do terrorista, que nas gémeas demorou alguns dias, mas que neste caso é antecipadamente conhecido de todos: Pedro Santana Lopes...

"Saber para prever, prever para prover." Augusto Comte

1 comentário:

púrpura disse...

Não há nenhuma segunda feira que não seja sinistram; acho q é o preço a pagar pelas sextas-feiras :)