sábado, janeiro 06, 2007

tóninhas

.


remanescentes obsessões críticas e paranóicas conspurcam o espírito fugaz como malvadas cínicas filhas do demo manchas de crude nas águas transparentes e cristalinas do mar da eternidade passional ontem hoje amanhã não há passado e futuro só presente inconsciente gravado a fogo líquido nas rochas piroclásticas como folhas que esvoaçam no tufão noctívago à beira do rio...

esperai...

esperai...

pela vinda do... NADA !


imagem: © josé antónio 2006 CLIQUE PARA AMPLIAR
.

10 comentários:

Isabel Magalhães disse...

Chamar-lhe-ía o genuíno retrato do TUGA! :))))





post scriptum: Já te disse que sou fanzaça do teu traço? :)))


beijolas.
I.

José António disse...

.

Olá Isabel,

É um pouco isso mesmo. Um típico tuga. :)

"post scriptum: Já te disse que sou fanzaça do teu traço? :)))"

Já, mas é sempre delicioso ouvi-lo. Thanks!

bjs

.

Isabel Magalhães disse...

Só sei desenhar 'trapos' modelos, 'design de moda'...




mas gosto imenso do desenho crítico... o desenho de intervenção... o desenho de 'escárnio e mal dizer'! :)))

Teresa Durães disse...

ah!! demais!!

(eu cá não sei desenhar nem o nome)

mas adoro humor negro bem contado!!

com este defino 99% das pessoas com quem trabalho eheheeh

José António disse...

.

Olá Isabel,

Pois eu acho que... não sei desenhar!

E não o digo por pedantismo. Faço uns riscos, mas tenho consciência de não ser nenhum mestre.

Desenho desde 'sempre', o que é muito tempo (a vida toda).
Às vezes mais e intensamente, num ritmo de produção alucinante, como se temesse 'perder' as ideias, outras vezes mais espaçadamente.

Neste momento ando numa fase 'alucinada'. Apetece-me desenhar, desenhar, desenhar, desenhar, desenhar, desenhar até... morrer com o lápis na mão. :)

Estou sempre a descobrir coisas novas e novas soluções para desenhar.
No computador, como sabes. Porque, por razões que conheces, é-me cada vez mais difícil desenhar 'à unha'. :(
Mas ainda não perdi a esperança de o voltar a fazer.

Tenho saudades das folhas de Guarro 180 gr. 50x70 e das grafites e das sanguíneas e dos carvões e do giz e dos lápis e das Rotrïngs e dos pincéis e do nanquim e... OH MY GOD!!!

Sorry 'bout o desabafo. ;)

bjs

.

José António disse...

.

Cara Teresa Durães,

"... (eu cá não sei desenhar nem o nome)"

Lamento, mas discordo.

Há anos que digo que TODOS sabem desenhar.

Todos sabem escrever (excluíndo os analfabetos, claro). Todos aprenderam na escola a desenhar letras e números e a organizar as letras letrinha a letrinha umas a seguir às outras. E com o tempo e o uso (prática) todos desenvolveram uma escrita própria e característica, única e pessoal (o traço).

Desenhar letra, no sentido de escrever, coisa que fazemos com naturalidade, se pensarmos bem é uma coisa bastante complexa do ponto de vista motor. Mas está ao alcance do comum mortal.

Eu acredito que desenhar é o desenvolvimento 'técnico' da ancestral linguagem gestual (fazer gestos para descrever objectos) que já os nossos antepassados pré-históricos usavam.

Peça a uma pessoa que lhe'desenhe' uma casa no ar, através de gestos.
Ela fará com as mãos um conjunto de gestos básicos que descrevem a forma geral duma casa - um quadrado com um triângulo sobreposto. Alguns poderão acrescentar (gestualmente) quadrados e rectângulo para representar portas, janelas e chaminé.
Agora coloque um lápis na mão dessa pessoa e uma folha de papel e peça-lhe para repetir os gestos que fez, riscando o papel. O resultado final? O desenho duma casa. Muito rudimentar, semelhante ao desenho infantil, é claro. Mas sem dúvida um DESENHO.

Depois? Depois é aperfeiçoamento técnico e 'treinar o olho' para aprender a 'ver'.

Claro que se falamos de Arte, há aspectos a considerar que estão para lá desta simples descrição. A criatividade, p.ex.
Nem toda a gente quer ser artista ou saber desenhar bem (o que quer que signifique 'bem'...). E por isso nunca aprendem a fazê-lo.

Termino com a minha citação preferida: "Um pintor pinta para se libertar duma carga de sentimentos e visões" (Picasso)

post scriptum: Tenho que arranjar uma ideia parra o 1%... Eheheh

Cumprimentos

.

Anónimo disse...

continuas na mesma. um grande beijo do mano novo para o mano velho.

José António disse...

.

OLHA O MANO NOVO !!!

Atão, já aprendeste a comentar...?! :)))

Continua a aparecer e a deixar rasto.

bjs do mano velho

.

Anónimo disse...

tu é que deixas rasto. tu é que es o caracol. eu vou dizendo umas baboseiras. é o resultado de muita D...... beijos xuxayte

José António disse...

.

Deixo rasto, deixo. Mas não o queiras CHEIRAR... :)))

As tuas baboseiras, são das muntas BUBAS... EHEH

bjs do mano velho

.