sábado, janeiro 07, 2006

lê o que 'tá lá escrito...


Quase todos os dias assisto a cenas que me deixam indignado, pelo que carregam de intolerância e falta de civismo e de espírito solidário entre pessoas humanas (que o deviam ser e que advogam sê-lo...) Isto para não lhe chamar, simplesmente, 'estupidez', que é uma palavra que detesto e que, em alternativa, substituo por irracionalidade e falta de amor ao próximo. E, porque não, falta de um bocadinho de amor-próprio?
E o que talvez ainda me incomoda mais é que na maioria dos casos, estes resultam de simples falta de bom senso de um, de outro ou de todos os intervenientes.


Vem isto a propósito de uma cena a que assisti ontem, por volta da hora de almoço, quando esperava uma camioneta para a estação de Oeiras na paragem junto ao Pingo Doce de Sassoeiros, a qual se situa ao lado dos semáforos no entroncamento da Av. da República com a Av. D. José I.

Quando cheguei à paragem cerca das 13:20 já lá estavam duas senhoras, sentadas no banco do abrigo. Eu fiquei de pé um pouco afastado, porque a camioneta ali, devido ao semáforo, pára sempre um pouco mais atrás. No entretanto chegou um outro senhor que ficou também de pé, ligeiramente recuado em relação a mim.

Passados seriam alguns minutos eis que surge uma camioneta, que encosta à berma, se imobiliza e abre a porta. Não me mexi pois, apesar das minhas limitações visuais, eu tinha conseguido ler a bandeira e percebido que era a camioneta destinada à Parede e que, assim sendo, não me servia.
Uma das senhoras levantou-se, avançou e entrou na camioneta.
A outra senhora, mais jovem, avançou também mas imobilizou-se à porta sem entrar e dirigiu-se ao motorista questionando-o sobre o destino da camioneta. Eu estava bastante perto e ouvi o diálogo.
A resposta do motorista, apontando para cima, foi e pasme-se: "LÊ O QUE 'TÁ LÁ ESCRITO!"...

Exactamente, isso mesmo. Assim. Como se estivesse a admoestar um miúdo calão e traquina. Aquele senhor motorista supõe certamente que toda a gente sabe ler, que o consegue fazer quando a camioneta se vem a aproximar, que a bandeira e o texto são bastante legíveis, que não existem pessoas com dificuldades visuais, ou até que possam estar distraídas, etc. etc. etc.
Aquele senhor motorista deu a resposta ERRADA...

Não faço a mais pequena ideia se aquela reacção e forma de tratamento do senhor motorista se deveu ao facto da senhora ser preta. Não o julgo, porque também ele, senhor motorista, o era. Também não me pareceu que fosse por se conhecerem. Ela não deu qualquer sinal nesse sentido e mostrou-se indignada. Seja como for, este caminho 'étnico' não conduz a nada, não vou por ele e repudio-o. Na verdade, e isto é que é importante, é que nada justifica que o senhor motorista tratasse uma passageira (uma CLIENTE...) daquela forma!!


Quero ainda deixar aqui expresso que utilizo os serviços da Stagecoach há cerca de 10 anos, quase diariamente. Assim, são muitos os motoristas que conheço, pelo menos de vista, mesmo não sabendo os seus nomes. Da maioria deles tenho a melhor impressão. São de um modo geral pessoas tolerantes, compreensivas e competentes. Este post não tem qualquer intenção de os agredir. Mas como diz o povo:
"No melhor pano cai a nódoa".

foto: © josé antónio, 2006

16 comentários:

Sara MM disse...

Raramente uso essas camionetas mas nos Bus de Lisboa nunca vi uma pior que essa!

Mas infelizmente, não são casos raros e nao é só nas camionetas!
A mim aconteceu-me esta semana uma do género - e sou branca!

Depois de duas horas em pé na sala de espera da ur^gência, encostei-me a uma secretária vazia... (bem sei que as mesas não são para sentar... mas não aguentava mais... o ultimo combustivel tinha sido uma banana 6 horas antes!)
... e ouvi:
"não podes tar aí! tás óvir?!"

enfim... só é pena eu chorar qd me irritam... mais valia conseguir bater!

José António disse...

É verdade, Sara.

Não são casos raros. É incrível a má-educação e rudeza que grassa por este país fora em todo o lado.

Acho que não há ninguém que não tenha um caso para contar em que se tenha sentido maltratado ou insultado.
As pessoas são tratadas com o maior desprezo, por gente que se esquece que somos NÓS que lhes pagamos os ordenados (e mesmo que assim não fosse todos temos o direito de ser bem tratados).

bjs,

Luisa disse...

Nos transportes da Carris em Lisboa acontecem muitos desses casos de pura má educação!!! Os motoristas acham que não é missão deles dar informações. Os transportes são para quem já sabe!

José António disse...

Olá Luisa !

"...Os motoristas acham que não é missão deles dar informações. ..."

Pois acham, e acham mal. Só um exemplo, civilizado:

Em 1996 desloquei-me com a minha esposa a Estocolmo, capital da Suécia, para ser submetido a um tratamento de Gama-Knife no hospital Karolinska. Estivemos na cidade cerca de uma semana (internado no hospital só estive de um dia para o outro).
Apenas uma vez, que me recorde, andámos de autocarro. Um dia, tínhamos andado a passear e queríamos voltar ao hotel, fomos para uma paragem de autocarro, que me pareceu a mais viável de acordo com a planta da cidade que eu tinha e a que estava afixada na própria paragem (não pesco nada de sueco mas todos eles têm o inglês como 2ª língua).
Surgiu um autocarro e entrámos nele. Antes de comprar os bilhetes disse ao motorista para onde queríamos ir, dando-lhe o nome do hotel e da rua onde este ficava, na qual não passavam transportes públicos por ser uma via secundária, paralela a uma artéria principal.
O motorista, pelo rádio, contactou a central e perguntou-lhes se aquele carro era o correcto, se era o que passava mais perto daquela rua, e qual era a paragem onde nós tínhamos que descer, comunicando-me depois que nos avisaria da paragem quando chegássemos lá.
Ah, e SÓ arrancou depois de nos termos sentado. Enquanto isto todos os outros passageiros aguardavam calmamente e sem se manifestarem.

Ainda uma nota final:
Tenho dificuldades de locomoção, visíveis. O autocarro, quando parou, baixou até ficar ao nível do lancil do passeio para facilitar a entrada e saída de passageiros.
Existem em Portugal carros com esta característica, por exemplo aqui em Oeiras os da citada Stagecoach (um motorista que conheço mostrou-me o funcionamento), mas nunca vejo os motoristas usarem esta facilidade, mesmo com passageiros idosos, doentes, deficientes, com carrinhos de bebé ou de compras, etc.

Ainda estamos muito looooooge de sermos um país verdadeiramente CIVILIZADO !!!

bjs,

Sulista disse...

...infelizmente, cenas destas acontecem muitas vezes, diáriamente :-(

A sulista está de volta,
Bonne Anée, Bonne Anée!!!
e bom fim de semana tambem :-D

José António disse...

Olá Sulista !

É mesmo. Mas tenhamos esperança. Só que já não vai ser para nós, né ? Ao ritmo a que as coisas mudam cá no sítio, deve ser para os nossos trinetos... pois !

Obrigado pelos Votos, que retribuo: HAPPY NEW YEAR !!!

Quanto ao Fim de Semana, idem. Continuação de um Bom FdS.
O meu, não está a ser mau. Estou agarrado ao Mac a trabalhar... como de costume, aliás. :)

bjs,

guevara disse...

ai fosse comigo... levava resposta torta! mas ironica!
certinho, sabidinho!

José António disse...

Olá Guevara !

Pois é isso mesmo. Uma resposta, mas daquelas cheias de subtileza que o deixasse a pensar o dia todo se tinha sido insultado ou não... e quando fosse à noite para a cama ainda fosse a pensar nisso !! ;)

bjs,

Caracolinha disse...

Olá Primo !!!! :))))

Pois, era logo de perguntar o nome ao "chico esperto" e mandar uma cartinha a descrever o sucedido ... as pessoas representam uma empresa e quando falam estão a falar por ela ... falta muita formação a muita gente que lida com o público e as empresas deviam ter mais atenção a essa vertente.

Uma beijoca encaracolada e indignada com a descrição !!!! :)

José António disse...

Olá prima Caracolinha !

Que enorme prazer em ver-te !

Isso é verdade mas... a citada empresa parece que não se preocupa muito com isso!
Têm um telefone público para as pessoas contactarem em casos de reclamação e já ouvi muita gente queixar-se que telefonou para lá, por isto ou por aquilo, e que foi mal atendida e se sentiu insultada !!!

Já tentei averiguar se têm um endereço de mail para "Atendimento a Clientes" ou "Sugestões e Reclamações", como existe em tantas empresas, e esta, apesar de ter site na net e tudo, a única coisa que tem é mesmo só o telefone...

Quem é que eles pensam que estão a enganar !?
É claro que assim não fica nada registado que permita, por exemplo, enviar uma cópia à DECO a protestar. É a palavra do cliente contra a da empresa...

bjs mt encaracoladitos (que estou todo encaracoladinho com o ffffffrrrriiiiiiiooooooo) !

Sara MM disse...

ok.... mas por esta altura essa camioneta já podia era ter chegado a Itália!!
LOL

José António disse...

LOL ... ;)

bjs

Sulista disse...

Ora Viva José António...já tinha saudades, passei por aqui ;-)
...para quando novo post?

Beijitos

José António disse...

Olá Sulista !

Também já tinha saudades de te ver por cá. :)

Novo post ?
Ideias há muitas aqui na gaveta mas... ainda num sêi.
Está para breve.

bjs,

Vespinha disse...

Olá,primo da Caracolinha!
Raramente ando de transportes por razões óbvias (A minha Vespa Matilde),mas quando calha também assisto a umas pérolas...
A última vez,foi traumática!O homem arrancava e travava de tal maneira que é impossível que não tenha tido aulas de condução com uma vara de porcos dentro do autocarro!!

Beijinho da Vespinha

José António disse...

Olá Vespinha !

E... para quem vai lá dentro ?
Quantas vezes não me ocorre essa mesma ideia. A de que aquele motorista tenha sido emprestado por alguma empresa de transporte de gado !!!


Aparece sempre.

bjs,