quarta-feira, dezembro 21, 2005

a saga do beduíno VII - neve sobre o beduíno

Talvez alguns de vós já estejam com saudades da dramática 'saga do beduíno' iniciada em 25 de Março de 2005 com o seu primeiro episódio e continuada nos dias subsequentes, mas que imperativos de ordem ontológica superior obrigaram a interromper no episódio VI em 30 de Março de 2005.
Retomamos aqui a estória no seu episódio VII, para não defraudar os nossos eméritos e imensos leitores que tão veementemente apostaram na veracidade inquestionável dos factos relatados. Segue o episódio:

a saga do beduíno VII - neve sobre o beduíno

A neve caía copiosamente sobre a pobre e oblíqua cabeça do beduíno (português), que estremeceu num arrepio de frio, num gelo que lhe percorreu a óssea espinha.
Os minúsculos flocos cristais de gelo eram como pontas de alfinetes a agredir a sua rude e áspera pele tostada pelo sol queimada pelo tempo assada pelo vento violador das estepes arenosas do deserto.
Assada como as suas virilhas eram assadas.
Andar no deserto palmilhar os espaços infindáveis calcorrear as picadas invisíveis matrizadas pela memória, pode assar as virilhas a qualquer um.

Lembrou-se dos chatos (Phthirius pubis) que apanhara com as danccarinae ventralis, e as imagens daqueles corpos lascivos, luxuriosos, gordurosos e a cheirar a haxixe nos quais deixara amolecer a sua essência, intumesceram-lhe o membro dito viril. O que agravou ainda mais a sensação de queimadura nas virilhas.
Mas o seu verdadeiro problema era a neve. Andar na areia já é difícil. Fazê-lo debaixo dum forte nevão... Porreta, cagalheta!
Em milhares de anos nunca ninguém tinha visto nevar no deserto. O mais perto que alguma vez algum beduíno estivera do frio e do gelo provavelmente fora no mercado de Agadir, frente ao carrinho do vendedor de gelados de cone e coca-colas.

Aqui devemos colocar uma nota.
NOTA: todo o beduíno que se preze sabe que a melhor forma de tirar o tesão aos dromedários é enfiar-lhes um gelado de manga pelo ânus acima. Não há conhecimento de dromedário que, após sodomizado por um belo dum gelado de manga (ou outra fruta), se tenha posto com brincadeiras sexo-fantasiosas no meio da cáfila a atrofiar a progressão da caravana!!! (para falar verdade, o método é válido também para os humanos.)

E a puta da fria neve que não parava de cair. Já lhe doíam os cornos (uma costela ribatejana). A neve acumulava-se e formava um manto branco espraiado que engrossava e dificultava a progressão. Os seus pés, habituados a mergulhar na quente areia dunar, enterravam-se obscenamente, porcamente, na neve, formando à sua volta charcos de água arenosa que rapidamente voltava a congelar. Puta que pariu! A culpa desta merda foi de terem ido à Lua! Pensou o beduíno, mais para se convencer, do que para se justificar da sua inatitude ramelosa. Os seus olhos estavam cheios de ramelas com semanas de vida. Estava mesmo um frio de merda!

O beduíno lembrou com saudade o doce calor das bostas de dromedário nas quais estivera mergulhado. Tão quentinhas!

Veio-lhe à memória um fadinho:
— Ai quem me dera... que um dromedário me cagasse em cima...

8 comentários:

Nina disse...

Desejo que neste Natal uma estrela brilhe na tua vida! Que esse Momento Mágico seja iluminado por todas as coisas boas que desejares.

FELIZ NATAL...Beijinhosss :)

José António disse...

Olá Nina.

Agradeço os votos e retribuo-os do fundo do coração.

Obrigado também pela (primeira) visita.

bjs,

Caracolinha disse...

Olá querido priminho !!!!

Saída directamente da casquinha para deixar os desejos de um NATAL cheinho só de coisas boas ... tudo, mas tudo o que houver de melhor são os meus mais sinceros desejos.

Uma beijoca encaracolada em forma de bola de Natal :)

José António disse...

Olá minha muito querida primita!

De volta ? Ai que bom !

Obrigado pelos votos e retribuo-os do fundo do coração com muita e sincera amizade.

bjs super-super-encaracoladinhos,

Guidite disse...

descobri teu blog..
Gosto deste teu cantinho.
Voltarei com certeza
feliz Natal
beijos novos

José António disse...

Olá Guidite.

BEM-VINDA/O (desde há uns tempos que gosto de escrever esta palavra em maiúsculas para que se perceba bem o HÍFEN... :) )

Desculpa a imprecisão no género, mas nunca ouvi o teu nome/diminutivo e não sei se é feminino ou masculino. Será de Margarida ?
Se achas inconveniente não respondas, claro.
Ninguém tem nada com isso.

Agradeço os votos e retribuo.
Agora vou dar um saltinho ao teu blog para o conhecer.

[]

Vespinha disse...

Um beijinho gorda da Vespinha e Feliz Natal!!

José António disse...

Obrigado amiga Vespinha.

Um Natal muito, mas MUITO mesmo, Feliz!

bjs,