segunda-feira, outubro 04, 2004

a hora


Boas ou más, há horas para tudo e, para cada coisa, a sua hora. E a hora sempre chega.

Sabas tião estava concentrado no seu trabalhinho. De tal forma, que nem deu pelo passar das horas e como a tarde ia avançada. Olhava fixamente o ecrã do computador onde preparava uma prosa para sair, por algum lado, no dia seguinte. Os seus olhos pareciam duas esferas globulares de gelo duro, imóveis e brilhantes. As suas mãos sapudas corriam o teclado velozmente, como ratos num celeiro cheio de sacos de cereal.
Ao seu lado, as suas duas navalheiras de estimação dançavam uma versão pós-moderna d'o lago dos cisnes, dentro do enorme aquário de acrílico rosa-pálido. Enquanto isso, sentada numa espreguiçadeira a um canto, uma gigantesca carocha argentina mulata, tanguista, bordava a ponto-cruz uma bela reprodução do busto da república, checa. E a tarde continuava a avançar e sabas tião a tricotar.
Repentinamente, despertou daquela espécie de hipnose fixista. Sentiu algo de indefinido que o fez parar e encostar-se para trás na cadeira e retirar as mãos do teclado. Era como uma febre, mas sem temperatura. Ou como umas cócegas, mas sem comichão. Olhou o tecto, sujo de cagadelas de mosca, do vinagre, na esperança de conseguir perceber o que o tinha acordado da sua importantemente inútil tarefa. Procurou sentir o seu próprio corpo. Não, não sentia nada de estranho, nenhuma dor nem nada assim. Mergulhou na memória. Não, nada emergia, nenhuma lembrança, nada programado para fazer. Que raio lhe teria acontecido?
Então, um ataque de tremuras acometeu-o, e começou a tremer violenta e descontroladamente como um picapau epiléptico. Deu um grito terrível que assustou as passageiras do autocarro, que saltaram pelas janelas, levantou-se num rápido pulo, e desatou a correr desenfreadamente, dando enormes saltos como um gafanhoto histérico. Entrou desabrido pelo snack-bar adentro, parou ao balcão, respirou fundo três vezes, e pediu... pediu uma bola de berlim com creme, que devorou em duas dentadas.

Tinha chegado a hora da bola de berlim com creme!

1 comentário:

José António disse...

Poderá parecer estranho comentar-me a mim mesmo... mas, são 04:52 e ai que bem que me sabia agora uma BOLA DE BERLIM COM CREME !!! :)